Buscar

O que é o método DMAIC e qual seu papel no Six Sigma?

O DMAIC é essencial na metodologia conhecida como Lean Six Sigma. Para descobrir o que é o Método DMAIC e as ferramentas aplicadas em cada etapa que o engloba, continue a leitura!



Sobre o Método DMAIC: o que é?

O Ciclo ou Método DMAIC costuma ser utilizado pelos profissionais com algum tipo de certificação na metodologia Six Sigma, conhecida por quem trabalha com a Gestão da Qualidade na área da saúde, indústria ou mesmo outras áreas.


Esta metodologia é voltada para redução da variabilidade nos processos e solução de problemas complexos, enquanto os Projetos Six Sigma (e o DMAIC) são aplicados no momento em que as causas raízes dos problemas ou fatores de desempenho de um processo são desconhecidos.


Etapas do Ciclo DMAIC

Para solucionar problemas é necessário considerar métodos, técnicas e ferramentas específicas. No DMAIC a resolução de problemas pode ser feita por meio do Diagrama Espinha de Peixe (Ishikawa), Fluxogramas, Diagrama de Pareto, etc. Cada uma delas são aplicadas em projetos de melhorias, seguindo os conceitos da metodologia Lean Six Sigma.

Nesse sentido, o DMAIC é um método que faz parte de um projeto de melhoria e engloba várias ferramentas. Visa melhorar processos e solucionar problemas atrelados a eles - problemas em que as causas raízes ou fatores de desempenho são desconhecidas.


As cinco letras deste método dão origem às seguintes etapas:

  • Definir;

  • Medir;

  • Analisar;

  • Melhorar;

  • Controlar.

1 – Definir:

A primeira etapa é voltada para definição da estratégia referente ao Projeto Six Sigma, em que o DMAIC será aplicado. Com o paciente em mente, estabeleça os limites do projeto e defina as metas. Esse momento é importante para elaboração do escopo do projeto, pois irá colaborar no estabelecimento das metas, responsáveis e atividades a serem realizadas pela sua equipe.


Vale destacar que o projeto de melhoria precisa estar vinculado a um problema e KPI (indicador-chave de desempenho), partindo do problema para execução do Projeto Six Sigma. Apenas desse modo será possível analisar os gargalos, suas causas e efeitos nos processos da unidade de saúde - definindo metas, analisando as dimensões do problema e elaborando o contrato do projeto (Project Charter).

2 - Medir:


Essa fase é voltada para o levantamento de dados. É a hora de quebrar seu problema principal e chegar nos menores, mas para isso será preciso coletar dados. E uma opção para a etapa em questão é voltada à aplicação do Diagrama de Pareto.

Exemplo:

Imagine que você busca detectar as causas-raizes de um problema. Esse problema está ocorrendo com os pacientes de um hospital e apesar de ninguém saber onde está a falha, já observaram que depois do atendimento muitas pessoas vão embora, entram em salas erradas ou passam grande tempo na sala de espera.


Também notaram que a quantidade de incidentes no local aumentou em três meses, mas não sabem se os problemas estão relacionados. O Diagrama de Pareto pode colaborar para elencar os problemas e a prioridade de cada um. Ao final, os dados iniciais sobre o problema terão sido coletados.

Mas além do Pareto, durante a etapa 2 (MEDIR) já é possível mapear os processos que ocorrem na sua unidade de saúde, o fluxo de valor e planejar a aplicação de algumas ferramentas da qualidade, tais como:


  • Cartas de controle de processo;

  • Cartas de capacidade de processo; e/ou

  • Histogramas.


O mapeamento de processos, por exemplo, colabora para a visualização das atividades que ocorrem diariamente no seu ambiente de trabalho, enquanto o mapeamento do fluxo de valor diferencia as atividades de valor agregado das que não agregam valor aos pacientes e ocasionam desperdícios.


Cada problema pode requerer a utilização de uma ferramenta diferente, cabendo ao profissional com certificação em Lean Six Sigma escolher a mais viável para seu cenário. Vale salientar que o profissional com a certificação em Green Belt é um dos que estão aptos para liderar projetos com as ferramentas mencionadas acima.

3 – Analisar:


Esse momento é voltado para analisar o problema que está ocorrendo e o processo da qual faz parte com um olhar mais rígido. Depois de aplicar ferramentas para analisar os processos, além de entender sobre os problemas menores que enfrenta é chegada a fase de resolver os problemas.

Mas para isso é necessário realizar análises de dados e análises estatísticas, somente assim poderá encontrar gargalos e os pontos problemáticos que existem dentro do(s) processo(s). Nessa fase ferramentas como gráficos de séries temporais e diagramas de dispersão podem ser aplicadas, assim como o brainstroming - utilizado para alinhar ideias com sua equipe focadas na solução do problema.

4 - Incrementar:


Essa é uma etapa que objetiva a melhoria e a implementação das otimizações nos processos. É importante que essas melhorias resolvam o problema enfrentado pela empresa e para que isso ocorra a comunicação deve estar em pauta, tanto por parte dos gestores com a equipe, como vice-versa.


5 - Controlar:


Fase final do DMAIC, importante para monitorar os processos e controlar as melhorias já implementadas. Para isso é útil considerar ferramentas que visam a prevenção de erros, monitoração do desempenho de processos, dentre outras características.

Vantagens do DMAIC no Lean Six Sigma

Como você já sabe do que se trata cada etapa do método DMAIC, vale a pena destacar as vantagens dele para o Lean Six Sigma:

  • Colabora para criação de projetos com foco estatístico e complexo;

  • Trata-se de um método que visa a melhoria contínua, o que é mais do que positivo para área da saúde;

  • Colabora para redução de erros e variabilidade nos processos;

  • Tem um ciclo focado na resolução de problemas mais complexos.


Se interessou pelo tema? Então temos uma dica: baixe nosso E-Book sobre Lean Six Sigma para aprender mais!



E se você gostou do tema, o que acha de compartilhar nas redes sociais? :D

489 visualizações0 comentário