top of page
Buscar

Tipos de Certificações em Lean Six Sigma: quantos níveis são e como fazer?

Atualizado: 12 de abr. de 2021

Na área da saúde, a metodologia Lean Six Sigma volta-se para redução de desperdícios e maximização do valor agregado aos pacientes. Essa metodologia engloba vários conceitos e ferramentas, e por isso foi dividida em cinco níveis diferentes, mas você sabe quais são eles? Continue com a leitura para descobrir!



Tipos de certificações em Lean Six Sigma (LSS)


Na prática, cada nível do LSS é chamado de Belt e funciona como se fosse no Karatê, em que você começa do básico e almeja evoluir para a fase final - dos experts - à medida em que conclui cada belt. As certificações em Lean Six Sigma estão delimitadas de acordo com os seguintes nivelamentos:


1 - White Belt


Esse é o nível mais básico dentre os tipos de certificações em Lean Six Sigma, em que os profissionais da saúde aprendem conceitos iniciais e introdutórios referentes a metodologia lean.


O nível White Belt costuma ser recomendado para uma pessoa ou equipe que atua mais na parte operacional de um negócio, seja uma clínica, hospital, etc. No geral, o intuito desse belt está focado aos princípios da organização enxuta, assim como na preparação dos profissionais para:

  • Participar de projetos de melhoria em Lean Six Sigma;

  • Dar assistência aos gestores durante a execução dessa metodologia.


Sobre os projetos de melhoria:


Os projetos lean costumam ser aplicados quando há desperdícios ou falhas evidentes em um processo. São exemplos de desperdícios: excesso de inventário, retrabalho, atividades redundantes ou desnecessárias em um processo, etc. Uma opção de ferramenta para otimizar processos é o Kanban.

Quanto aos projetos seis sigma, estão sempre pautados na solução de problemas mais difíceis (complexos) - aqueles que carecem de indicadores, são difíceis de identificar causas-raízes, etc. Para resolvê-los é imprescindível aplicar o método DMAIC, um ciclo de melhoria com cinco fases: Definir, Medir, Analisar, Melhorar/Incrementar e Controlar.



2 - Yellow Belt


Nesse nível os colaboradores já estão mais do que aptos para participar dos projetos de melhoria e até mesmo liderar projetos curtos, de baixa complexidade... Mas cuidado! Apesar da autonomia maior nos projetos, ainda é importante que esses profissionais sejam supervisionados por um ou mais profissionais que tenham uma certificação em Green Belt ou Black Belt.


Sobre o Yellow Belt: assim como no White Belt, a metodologia lean é um dos pontos fortes dessa certificação, que coloca um destaque especial no Ciclo PDCA, um método de melhoria contínua que engloba quatro fases: Planejamento, Execução, Verificação e Ação (Plan, Do, Check e Act).


Esse ciclo costuma ser um aliado na solução de problemas "fáceis" dentro dos projetos lean - aqueles em que é menos trabalhoso identificar as causas raízes, quando você pensa nos processos que ocorrem na sua unidade de saúde.

3 - Green Belt


Trata-se do nível intermediário da formação em Lean Six Sigma. Uma pessoa que conclui a certificação em Green Belt:

  • Sabe quais são etapas e conceitos do método DMAIC;

  • Pode atuar em projetos simples de melhoria;

  • Em projetos voltados para redução de causas pontuais na unidade de saúde; e

  • Poderá conduzir projetos de melhoria, juntamente com um supervisor Black Belt.

O profissional com esse nível (Green Belt) aprende mais sobre os projetos seis sigma (ao invés do foco apenas no lean) e também recebe ensinamentos maiores na parte estatística. Durante a certificação, ele aprende que para realizar um projeto de melhoria é imprescindível realizar uma avaliação financeira da sua unidade de saúde, além de entender sobre indicadores e os conceitos da organização enxuta. E quando falamos em projetos Lean Six Sigma, assim como outro qualquer, apresentam quatro etapas, sendo elas: início, planejamento, execução e fim.


4 - Black Belt


Uma pessoa com certificação Black Belt está apta para treinar todos os profissionais de níveis anteriores, além de liderar projetos de grande complexidade, com alta carga estatística. Esse profissional poderá resolver problemas em que as causas deles não são tão visíveis, orientando sua equipe para ter resultados satisfatórios em cenários variados.


Mais do que ninguém, esse profissional sabe o quão fundamental é monitorar o projeto, a fim de saber o que está sendo feito, o que será feito e quais são os problemas a serem resolvidos. As reuniões de validação de fase têm um papel essencial dentro do monitoramento e controle dos processos.


5 - Master Black Belt


Aqui temos o belt final para dominar o Lean Six Sigma. Com essa certificação você se torna um profissional avançado, que não só sabe como combater os desperdícios na sua unidade de saúde como também trata problemas complexos, quantitativos, e aplica métodos estatísticos para isso. O Master Black Belt tem conhecimento elevado das metodologias lean e six sigma, além de poder atuar como consultor nos projetos conduzidos por Green e Black Belts.


Outros níveis


Além do Master Black Belt vale destacar também o papel do Champion, que viria depois do último nível e se refere ao responsável por ajudar profissionais dos níveis anteriores com os recursos e patrocínios necessários para realização de um projeto. Em outras palavras, seria o padrinho do projeto.


Gostou desse post? Se você busca saber sobre o Lean Six Sigma e suas certificações, temos uma dica: a Gestão Dorsal está prestes a abrir uma nova turma de Green Belt. Para quem busca se qualificar nesse ou em outro nível, basta entrar em contato conosco: gestaodorsal@gmail.com


Dica


Caso queira aprender mais sobre a metodologia em si, faça o download do nosso E-book Gratuito sobre Lean Six Sigma:



E se você gostou desse post, o que acha de compartilhar nas redes sociais? :D

3.960 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page